As várias facetas das estantes

As várias facetas das estantes

Elas se modernizaram e estão se tornando cada vez mais versáteis. O uso criativo das estantes em projetos de interiores mostra que as possibilidades são infinitas Quando falamos em estantes, o primeiro pensamento que vem à cabeça é: um móvel para colocar livros e expor adornos. Porém, a criatividade de designers e arquitetos mostra que é possível ir além. As estantes estão cada vez mais modernas, criativas e versáteis. Um ótimo exemplo disso é o uso totalmente novo que a designer de interiores Melina Mundim deu para a estante de u living que projetou: o móvel foi utilizado para exibir vasos de plantas. “O design limpo da estante conversa muito bem com o ambiente. As estantes, se bem trabalhadas, podem ser ícones do espaço. Com um design interessante, ela chama bastante atenção”, avalia Melina. Já o arquiteto Junior Piacesi, inovou ao criar uma estante assimétrica e com iluminação. Neste caso, a estante foi o elemento surpresa do projeto, mas ele ressalta as várias outras funções do móvel no ambiente. “Todo projeto de arquitetura tem que ter uma pegada de surpresa. As estantes têm várias funcionalidades e podem ser inseridas em vários espaços. Elas podem ser utilizadas para dividir os ambientes, como um quarto do casal integrado a uma antessala do quarto, por exemplo. Ou ser colocada em toda a parede de um corredor. A estante te convida a utilizar aquele espaço”. Já para quem tem dúvidas sobre quais materiais utilizar na marcenaria da estante, Melina dá dicas: “Laca é a melhor opção já que a maioria é em madeira. As estantes de ferro oxidado são muito bem-vindas na decoração...
RJ fecha para geração de energia renovável nos Jogos 2016

RJ fecha para geração de energia renovável nos Jogos 2016

Estado e governo federal vão dividir os custos para viabilizar as Olimpíadas. Decisão foi tomada em reunião com presidente Dilma e Pezão. No final da reunião da presidente Dilma Rousseff com o Comitê Organizador dos Jogos 2016, o secretário da Casa Civil do governo do estado do Rio, Leonardo Espíndola, anunciou que houve um acordo entre o governo federal e o estado sobre a geração de energia temporária durante os Jogos 2016. Ficou decidido que a União assumirá o custo de parte da energia que será gasta nos Jogos e o estado ficará responsável pela energia remanescente. Para a viabilizar o aporte do dinheiro do estado do Rio, será enviado um projeto de lei para a assembleia legislativa nos próximos dias. “Nós poderemos complementar a parte que falta para a energia temporária dos diversos equipamentos olímpicos [instalações]”, afirmou Espíndola. De acordo com o secretário, o aporte do estado deverá ser entre R$ 150 milhões e R$ 170 milhões. Já a União, segundo Espíndola, será responsável por algo entre R$ 250 milhões e R$ 290 milhões. A presidente Dilma deixou o Comitê Organizador, na Cidade Nova, no Centro do Rio, por volta das 19h30 sem falar com os jornalistas. No encerramento da reunião, cinegrafistas puderam gravar a última declaração da presidente. Ela anunciou a lista dos dez mandamentos das Olimpíadas, elaborados pelos integrantes do Comitê Organizador. Entre eles, estão “Deixarás legado para a população de toda a cidade” e “Não desperdiçarás dinheiro público”. Mais cedo, Dilma e outras autoridades visitaram as obras da Linha 4 do Metro Rio. Ela chegou ao canteiro de obras por volta das 16h15, após fazer...
Micro e mini geradores de energia são isentos do ICMS

Micro e mini geradores de energia são isentos do ICMS

A partir de 1º de janeiro de 2016 a energia elétrica gerada por fontes hidráulica, solar e eólica será isenta de pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em Mato Grosso. Serão beneficiados os projetos de micro e minigeração distribuída, popularmente conhecidos como autogeração de pequenas quantidades produzidas por residências, comércios e indústrias. A iniciativa do governo do Estado faz parte da política pública voltada para o setor energético e que está sendo desenvolvida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec). A solicitação da inclusão de Mato Grosso partiu do secretário Seneri Paludo, e o projeto foi encaminhado para a Secretaria de Estado de Fazenda e apresentada pelo secretário da pasta, Paulo Brustolin, ao Conselho de Política Fazendária (Confaz), que aprovou esta semana a adesão do Estado ao projeto de autogeração, por meio do Convênio 16/2015. De consumidor a gerador, quem produzir a própria energia, além de ficar isento do pagamento da alíquota do ICMS, poderá fornecer o excedente à concessionária de energia e ficará com crédito junto à empresa para futuras compensações mensais. De acordo com Paludo essa iniciativa do governo faz parte da política pública que está sendo estabelecida para o desenvolvimento sustentável do setor energético no Estado. “Mato Grosso tem um grande potencial para a energia solar e queremos estimular esse uso de energia limpa”. Segundo o secretário da Sedec o impacto na arrecadação será baixo, já que hoje a geração de energia solar é muito pequena no Estado. “Em contrapartida, como esse mercado de energia fotovoltaica praticamente não existe no Estado, serão criadas oportunidades no setor de materiais elétricos, serviços diversos. E essa...